segunda-feira, março 3

Ciclo

E a barriguinha da Dé cresce e cresce...
Linda!!



Refaz-se a vida no seu ciclo eterno.
Renasce o amor no ir-e-vir da vida,
E a flor que murcha a se esconder do inverno
Na primavera torna a ser bem-vinda;
E na criança, em seu sorrir sincero,
Revejo a vida: o ciclo nunca finda!
Tudo repete o vai e vem etéreo,
Reacendendo em mim o amor à vida.
O amor que vive não há quem desfaça.
Inda se a vida parecer finita,
É propagada na criança tua;
E quando a vida te sorri com graça,
E quando o amor o ventre teu habita,
No teu rebento o ciclo continua...
Poesia: Ederson Penka
Fotos: Anaterra Viana

Um comentário:

Débora disse...

ontem eu era filha, fui dormir e acordei mãe..!! rsrsrs...
Muito loco!!! hhahahha

Adorei as fotos goria!!!

Bjãooo!!